R$16,85 a unidade na Kabideria

como consumir moda conscientemente?

25 de agosto de 2015

Um dos meus últimos textos aqui no blog, o quem paga o preço das suas roupas?, teve uma repercussão maior e mais positiva do que eu esperava. Muito obrigada a todos que comentaram, compartilharam e discutiram o assunto comigo! <3

5 dicas práticas para dar uma repaginada nas roupas que você já tem

4 de agosto de 2015

Sempre que eu penso em um novo texto para o blog eu me pergunto “se eu fosse leitor, gostaria de ler isso?”. E esse texto especificamente é algo que eu adoraria encontrar por aí: dicas práticas, pra começar a testar hoje, dentro da realidade do meu armário.

Separei cinco dicas legais pra compartilhar com vocês, mas a lista pode se estender no tamanho da sua criatividade…

1 – Cores, muitas cores!

Fato é: cores são legais. E muitas pessoas têm resistência à elas, tadinhas.

A proposta aqui não é poluir o visual com zilhões de cores e estampas, mas por que não tentar misturar um azul marinho com bege? Ou um azul com verde? Um amarelo com turquesa?

 

Pra pensar melhor nessas possíveis coordenações, é só seguir a linha de raciocínio do círculo cromático: cores vizinhas na cartela de cores são conhecidas como análogas e permitem combinações mais discretas – ótimo pra quem ainda tem medo de cores.

Já as cores opostas no círculo cromático são chamadas de complementares. E permitem combinações muito mais criativas e chamativas. Legal pra quem deseja transmitir uma mensagem mais informal.

2- Acessórios

Sabe aquela sua gavetinha de bijuterias, escondida no fundo do armário? Que tal fazer uma limpeza nela? E redescobrir aquelas peças que há tempos você não usa? As vezes a gente usa a mesma coisa e esquece outras milhões de possibilidades. O mesmo vale para lenços, relógios, gravatas para os homens… são inúmeras as chances de se dar um ‘up’ no visual sem gastar nada ou gastando muito pouco!

3- Lenço no cabelo

Eu sei, eu sei… você não sabe fazer aquelas amarrações legais? A minha colega de profissão, a consultora de estilo Thais Farage fez um vídeo muito legal sobre o assunto: Como usar lenços

cabelo2

4 – Batom coloridão ou, simplesmente, passar um batom :-)

Com a moda dos batons com acabamento matte e de longa duração, tenho visto um monte de cores bem legais por aí e por preços muito convidativos, também…

Mas, se a sua onda não é essa, sem problemas! Só o fato de passar um batom de qualquer cor já causa um efeito diferente no visual. Tenho por mim que um batom é capaz de levantar a auto-estima de qualquer uma! :-)

batom2

 

5 – Um penteado diferente ou, simplesmente mudar a ‘linha da raiz’ do cabelo

Talvez a sua habilidade de fazer penteados diferentes seja igual a minha: limitada. Mas uma coisa que já causa uma diferença notável é mudar a linha da raiz do cabelo. Pelo caimento natural do cabelo, a raiz sempre fica no meio, né? Só pelo fato de mudar a raiz de posição, criando uma linha ou para a direita ou para a esquerda, já causa uma ooooooutra impressão.

Outra ideia legal é criar referências próprias de possibilidades para aqueles dias que nada dá certo. Um rabo de cavalo que ‘segura’ aqueles fiozinhos rebeldes, aquele grampinho de cabelo que, se posto de uma certa maneira, versatiliza a franja-nossa-de-cada-dia… enfim! O negócio é soltar a imaginação e ser feliz!

cabelo2

 

Melhoradores ‘instantâneos’ de estilo, auto-estima e confiança! Porque a vida acontece agora, e a gente merece ser a nossa melhor versão todos os dias!

Um beijo!

 

 

e vejo cores em você…

28 de janeiro de 2015

Provavelmente você já deve ter ouvido aquela frase clássica: “nossa, como você ficou bem com essa cor!”, acertei?

Por mais que, durante a correria do dia-a-dia, a gente não preste muita atenção nisso conscientemente, as cores representam muito as nossas ‘sensações’ no dia.

As vezes, sem querer, escolhemos usar roupas pretas quando não queremos muito papo. Ou uma blusa amarela quando estamos muito felizes ou uma vermelha para chamar a atenção de alguém especial.

Quem percebeu isso foi Johannes Itten, artista plástico e professor da escola de design alemã Bauhaus. Durante suas aulas, ele percebeu que os alunos que estavam estudando cores acabavam optando pela cartela de cores/nuances mais harmoniosos com a sua pele e cor dos olhos e dos cabelos.

Essa “teoria” começou a ser utilizada nas roupas aproximadamente na década de 70, na Califórnia, Estados Unidos. Foi nessa época que o livro Color me Beautiful, de Carole Jackson, foi lançado e que as primeiras consultoras de estilo começaram a aplicar técnicas de coloração nos seus clientes, de acordo com os conceitos transmitidos pelas estudiosas da área.

Segundo a teoria primária sobre o assunto, todas as pessoas do mundo podem ser dividas em quatro grandes conjuntos de cores: primavera, verão, outono e inverno. Existem cores e tonalidades que realçam a beleza de cada um de acordo com algumas características, como a cor dos olhos, da boca, da pele e dos cabelos.

Hoje em dia, a análise de cores faz parte do processo da consultoria de estilo e possui variantes de cartela de cores que partem do princípio dessa teoria dos quatro conjuntos de cores. Uma pessoa pode ser “outono profundo” ou “verão puro”, por exemplo. Mas esse assunto rende outro post, mais explicadinho… ;-)

Um beijo!

imagem de Paul Malon, feita nos anos 50.

imagem de Paul Malon, feita nos anos 50.

quero mais!