deixando o novo entrar…

30 de dezembro de 2015

Esse post não tem dica de estilo. Também não vou falar de moda e do impacto dessa indústria no nosso planeta. Não. Hoje o assunto é direto e reto, assim mesmo, sem voltas.

Eu sempre fui inquieta e curiosa. Sempre gostei de ler, entender como as coisas funcionam, como a história aconteceu, quem foi tal pessoa e o que ela fez de legal na vida… enfim, minha lista de interesses não tem fim. E eu sempre me senti culpada por isso, meio “sem foco”, sabe? Deve ser algo inerente à minha geração, não sei.

Apesar de nunca ter tido um foco específico, sempre soube que independente de tudo, eu gosto de escrever. Desde criança. Gosto de escrever sobre qualquer coisa, qualquer história… Escrever é o que me prende, me motiva, me fascina.

Mas “escrever por escrever” é muito vago. Então daí surgem meus principais interesses: música, cinema, História, comportamento, espiritualidade… e moda.

Eu sempre gostei muito de moda. Mas não aquela moda da passarela, meio vazia e distante. A moda na vida real, nas pessoas da rua, como a moda impacta na vida dessas pessoas, qual é a importância dela na vida e na sociedade, etc… Coisas bem mais profundas e que são mais filosóficas e permitem uma série de pontos de vista.

Aí, em 2010, nessas minhas leituras e descobertas, eu descobri a consultoria de estilo através das queridas do Oficina de Estilo. Eu sempre me identifiquei demais com os textos e com a maneira de abordar os assuntos. Daí achei que poderia ser uma chance bacana de estar em contato com a moda dessa maneira que eu gosto, mais pessoal e personalizada. E resolvi, depois de uma pós em gestão comercial (?), embarcar numa formação em consultoria de estilo.

Atuei numa carreira dupla durante 1 ano e meio: como assistente comercial de uma importadora de segunda à sexta e como consultora de estilo aos finais de semana. E, além disso, também tinha esse humilde espaço pra postar toda semana – uma maneira de transmitir esse mundo maravilhoso do estilo pessoal para todas as pessoas sem perder minha “essência” de escrever. Cansativo? Magina!

Foi uma das fases mais legais da minha vida. Conheci muita gente do bem (e que são amigas até hoje!), ampliei meus horizontes de conhecimento, tive contato com muitas clientes legais… mas algo dentro de mim não estava feliz. Eu nunca senti o tão falado “estado de fluxo” que muitas colegas de profissão mencionam. Sempre fiz meu trabalho da melhor maneira possível, mas algo não estava certo.

Em compensação, cada texto que eu escrevia para esse blog ou para algum site/blog que eu era colaboradora, fazia meu coração palpitar. Me deixava com os olhos brilhando. Sempre fiquei com aquela sensação de “dever cumprido” depois de um texto que eu quebrei a cabeça pra produzir.

Eu descobri que ESCREVER sobre o assunto me deixa MUITO MAIS FELIZ do que atuar na área de outra maneira. Porque ESSA é a minha essência. É o meu estado de fluxo. Minha paixão. E, por isso, decidi que a partir de 2016 eu não vou mais atuar como consultora de estilo.

Foi lindo, foi mágico… mas foi. É hora de seguir adiante, escrevendo e criando.

O blog vai continuar, claro. Mas vou escrever sobre outros assuntos, algo mais abrangente e que tenha mais a ver comigo e com o que eu penso. Até eu esquematizar aqui na minha cabeça como vai funcionar a nova versão, você pode me acompanhar no Medium, uma plataforma de texto que eu tenho usado bastante ultimamente: https://medium.com/@juliameirelles.

<3