o estilo de vida europeu – parte 1

20 de junho de 2016

Berlim <3

Berlim <3

Recentemente fui viajar de férias para a Europa. Apesar da crise, do medo intermitente que assola nosso país e da nossa moeda extremamente fraca e desvalorizada – sim, eu fui.

Fui porque a vida é feita de escolhas. E eu escolhi viver de uma maneira mais simples, economizando em coisas que não fazem tanto sentido pra mim (como um carro novo, uma roupa de marca e restaurantes caros).

 

Eu posso ir pra China, pra Tanzânia ou pra Alemanha. O que mais me fascina em viajar é observar as pessoas e os costumes. 

 

Dessa vez fomos para Berlim e para Amsterdã. Tenho um fascínio imenso pela Europa e pela história que passou por ela. Me sinto pisando numa parte do passado, fazendo parte disso.

 

Como essa foi a minha segunda vez no velho continente, tentei focar minha atenção em outras direções – coisa que nem tive tempo de prestar atenção durante minha primeira estadia.

“PRECISO IR NAQUELE LUGAR, COMER AQUI, TIRAR FOTO DISSO, ENTRAR NESSA LOJINHA, SOCORROOOO”

E se teve algo que eu prestei MUITA atenção dessa vez, foi o estilo de vida dos europeus.

 

A primeira coisa que me vem na cabeça quando penso como posso resumir esse estilo em uma palavra é SIMPLES. 

 

Lá a grande maioria das pessoas anda de transporte público, de bicicleta e a pé – e roupa deve acompanhar essa rotina. É difícil ver mulheres usando salto alto, extremamente montadas e produzidas. As europeias usam muito tênis, meia-calça, sapatos de salto baixo, bolsas transversais, jaquetas de couro (MUITA!). Geralmente os homens também se vestem de maneira mais simplista, priorizando o conforto.

tipo isso!

tipo isso!

 

Senti também que as mulheres de lá buscam por uma simplicidade também na beleza: a maquiagem existe, mas é praticamente imperceptível. Ela é usada pra ‘melhorar’ o visual, sem muitas pirações.

 

O que me chamou muito a atenção – tanto em Berlim como em Amsterdã – é a quantidade de ciclistas nas ruas. Lá, a cultura da bike é muito difundida e respeitada – além de ser mais econômica e ecológica também. Eu, que sou fã da magrela, fiquei pirando no visual das pessoas andando pelas ruas: lá anda-se de bicicleta com roupa ‘normal’. Eles não usam roupa de ‘fazer ginástica’ pra pedalar, se é que vocês me entendem.

 

Ainda falando de roupas, os europeus usam muitas cores neutras como preto, cinza, bege e azul-marinho (dá pra perceber nas fotos!). Geralmente eles dão ênfase pros tênis e sapatos.

 

Apesar de, a primeira vista, não parecer, as roupas são muito bem cortadas e ajustadas. Não notei uma ‘ostentação’ massiva de marcas – pelo contrário! Dava pra perceber que eram roupas de qualidade pelos detalhes do tecido e da malha (eu sou meio obcecada nesses detalhes).

 

É um estilo simples, elegante e, ao mesmo tempo, prático. Apesar das duas cidades que conheci serem tão grandes quanto São Paulo, senti que as pessoas não vivem de aparência, de ostentação, de ‘reparar no outro’ – coisa que acontece por aqui e me deixa bastante irritada. Lá tive a impressão de que você pode ser quem você quiser. As pessoas não vão te julgar porque você anda de bicicleta, tá acima do peso, usa uma roupa que só você gosta… enfim.

 

São muitas as coisas que vi, internalizei e, agora, estou depositando aqui. Tantas que esse texto tem continuação. Adoro ler relatos de viagem, espero que vocês também gostem! :-)

 

Um beijo!

Tags:, ,