#umbelodiaresolvimudar: manter constância

24 de maio de 2016

Hoje eu li um texto que mexeu comigo. E eu adoro quando isso acontece.

Gosto de textos que me fazem pensar, me dão um tapa na cara e me mostram uma outra possibilidade de agir e viver.

O texto de hoje foi A autoestima, as autopercepções e os exercícios físicos, de Débora Navarro no ótimo Papo de Homem.

Apesar de ter sido postado há 2 anos atrás (!), tive o prazer de chegar até ele hoje. E, caramba, devia ter chegado mais cedo.

Nele, a Débora aborda a nossa relação de amor e ódio com as atividades físicas e que isso não precisa ser assim. Não quero dizer mais do que isso sobre o texto; prefiro que você clique e leia! ;-)

Uma frase em especial me tocou. E me tocou de um jeito tão significativo que resolvi até fazer uma montagem com ela para dividir com vocês:

Somos o que fazemos com constância. Não é maravilhoso pensar dessa maneira? De fato, podemos resumir nossa trajetória a todas as situações, pessoas, lugares e acontecimentos que nos ocorreram. E também ao que fazemos com constância, com uma certa frequência…

Passando esse significado para objetivos pessoais e que requerem certo esforço e dificuldade para serem concluídos, o segredo do ‘sucesso’ é a constância. É manter um ritmo. Ter claro na mente qual o objetivo e quais caminhos podem ser trilhados.

Da mesma maneira que essa constância pode ser prejudicial quando falamos de vícios: o vício nada mais é que ‘manter constância’ em algo que, em quantidade, pode fazer mal. Cigarro, comida, compras e hábitos duvidosos.

É a constância em acreditar que não é capaz que nos faz inseguros.

É a constância em estar em um relacionamento ruim que nos faz tristes.

É a constância em adiar o começo de uma reeducação alimentar que nos faz doentes.

Da mesma maneira que…

É a constância em se ouvir e reconhecer suas qualidades que nos faz empoderados.

É a constância em nutrir boas relações que nos faz amados.

É a constância em, apesar das dificuldades, dar o melhor de si para cuidar bem da sua saúde, que nos faz saudáveis.

Tem sido difícil demais para mim nos últimos tempos cuidar adequadamente da saúde. Tenho me sentido preguiçosa, desanimada e triste. Mesmo sabendo da maravilha que é sair com o rosto suado depois de uma boa sessão de caminhada na esteira da academia, me deixo vencer pelos monstrinhos que vivem dizendo que ‘não precisa’.

E de negação em negação, engordei muito desde o começo do ano, tenho ficado doente com MUITA frequência e sem contar na disposição física que praticamente sumiu.

É preciso força, determinação… e constância. Sempre ela.

Espero que você, aí do outro lado da tela, possa aplicar isso na sua vida sempre que sentir necessidade. E que seja sempre pro bem.